Alimentação

A força do hábito: vilã ou heroína?

Todo dia fazemos tudo sempre igual. Acordamos com o despertador na mesma hora de sempre; vamos ao banheiro escovar os dentes; preparamos nosso café da manhã; pegamos o mesmo caminho para o trabalho…

É verdade que o hábito e a rotina repetitiva tornam as atividades mais fáceis de serem executadas! Nós somos fruto de antepassados que viveram sucessivas épocas de privação alimentar. Herdamos deles o instinto da economia de recursos. Nossa tendência ao sedentarismo e à inatividade vem de um tempo remoto onde apenas aqueles que sabiam armazenar recursos de forma eficiente sobreviviam.

A tendência à economia de recursos não se restringe apenas à atividade física; a atividade mental também é afetada. Hoje sabe-se que o cérebro é o órgão responsável pelo maior consumo calórico do corpo. Por isso, ele também procura economizar recursos!

E a forma que ele escolhe para tal economia é preferir executar tarefas memorizadas, já aprendidas e facilmente recordáveis.

Se a execução de tarefas repetidas é benéfica do ponto de vista da economia de energia, será que essa repetição pode ser prejudicial em outros aspectos?
A resposta é: depende do hábito repetitivo que você tem!

Na alimentação, alguns hábitos errados podem prejudicar sua saúde, como por exemplo, aquele docinho na hora da sobremesa.

A gente sabe que mudar de hábito não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. Talvez a substituição da sobremesa calórica por sua fruta favorita não seja tão difícil assim. 🙂

Abaixo, uma figura mostra como nossos hábitos podem ser melhorados na hora das refeições.
Bons Hábitos

Com essas dicas, ficou mais fácil desacostumar o cérebro a repetir sempre as mesmas ações! Vamos tentar?

Fonte:  G1 Bem Estar 

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *